Imagem

Reversão de Vasectomia

A fabricação dos espermatozóides ocorre no testículo. Após passagem pelos ductos deferentes os espermatozóides são armazenados e passam por um processo de amadurecimento dentro do epidídimo. O epidídimo é um tubo único e contínuo, extremamente enovelado e que mede aproximadamente 6 metros. Depois do epidídimo, os espermatozóides atravessam o deferente, que é responsável por levá-los até a uretra prostática. É o canal deferente que é cortado em uma vasectomia. Quase sempre, após a realização da vasectomia, a produção de espermatozóides permanece intacta.

A reversão da vasectomia é uma cirurgia que restabelece a conexão entre os dois cotos do deferente que foram separados na época da vasectomia.

O número de pacientes procurando a reversão de vasectomia vem aumentando anualmente, e a causa mais comum é o fato do paciente ter se casado novamente e desejar uma gravidez com a nova esposa.

O tempo de cirurgia é de aproximadamente de 3 a 4 horas e geralmente, é realizada sob anestesia geral ou raquidiana com sedação. A cirurgia é ambulatorial, ou seja, o paciente recebe alta no mesmo dia.

O primeiro espermograma é realizado 45 dias após a cirurgia e a partir de então, análises mensais são necessárias até 6 meses, ou até que exista uma estabilização da qualidade seminal.

O custo da cirurgia é variável, pois depende de um hospital equipado com microscópio de alta definição, além de fios cirúrgicos delicados e material cirúrgico para microcirurgia. De um modo geral, estima-se em R$10.000 o valor de despesas médico-hospitalares para este procedimento.